Demissão de quase todos os funcionários do Brasil e da América Latina

Provavelmente serei censurado. Isso é mais um embalo de Sony, Ford, etc, que continuam no Brasil de forma enxuta. É de se fazer pensar, pois se não comprarem D2 Resurrected e afins, aí é que sai de vez.

Videogame é parâmetro de tecnologia de ponta, alinhado com indicadores de desenvolvimento gerais. Isto é, embora seja velado, não é para todos os públicos, nem a maioria deles, mas sim para quem tem poder aquisitivo.

Uma via de contramão a tudo que conseguimos nessas últimas décadas: produção nacional, jogos completamente em pt-br e servidores brasileiros. Sorte de quem vive em países com condições, digamos, financeiramente favoráveis ao entretenimento.

2 Curtidas

Isso é culpa dos nossos políticos atuais, que dão suporte para os mais ricos e tiram dos mais pobres.

Eu mesmo tenho 34 anos tenho um pc para rodar jogos com gráfico tudo no baixo que tenho até que cogitar e refletir se compensará comprar D2 resurrected já que meu pc é fraco e não tenho dinheiro para melhorar o meu pc, quem dirá pagar 180 reais num jogo só.

Como essa situação pode motivar uma empresa a ficar no Brasil, mas infelizmente essa é a realidade da maioria.

todos sempre foram assim e os próximos que virão tb serão, é assim desde o golpe da república.

1 Curtida

Quem acompanhou e/ou jogou o alfa técnico do remaster viu que teve muito boa repercussão. Vi muitas lives, de brasileiros e gringos. Todos gostaram. Não vi ninguém falando mal, apenas relatando alguns bugs para a empresa, coisa que ela mesma pediu. Até a jogabilidade no joystick foi bem recebida.

Se o próximo alfa, que vai ser multiplayer, também for bom, muita gente vai perder o receio e comprar o jogo. Se tiver demo para todos como o D3 tem, mais ainda. Com esse, o Diablo 4, o Immortal e também outros jogos deles tendo bons resultados no Brasil, eles poderão voltar para cá.